top of page

Fome e desnutrição fazem aumentar o número de crianças com déficit de altura no Brasil



O número de crianças com menos de cinco anos que têm déficit de altura voltou a crescer no Brasil nos últimos anos.


🚨 Contexto: Enquanto em uma população saudável é esperado que cerca de 1% das crianças tenha uma altura considerada muito baixa, no Brasil, o número chegou a 5,3% em 2021.

📋 Motivos: Fome e desnutrição estão entre as razões que explicam esse cenário, agravado pela crise econômica e a pandemia.

Impacto: Quando expostas a esses problemas durante a primeira infância, que compreende a fase dos 0 aos 6 anos, as crianças raramente conseguem recuperar o déficit de altura.

Os dados são de um levantamento obtido com exclusividade pela Globonews, feito pelo Laboratório de Avaliação do Estado Nutricional de Populações da Faculdade de Saúde Pública da USP (Lanpop USP) a partir de informações do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Ministério da Saúde.


O crescimento das crianças atua como um marcador indireto da saúde da população, relacionado a aspectos sociais. A estatura de um indivíduo é definida por heranças genéticas, mas também por fatores de saúde.

" Todo o ambiente favorece ou trava o crescimento. Uma criança com altura muito baixa pode ter tido doenças recorrentes, uma alimentação insuficiente, períodos de fome. "


Crianças com déficit de altura podem ter:


  • alterações no desenvolvimento cognitivo;

  • maior tendência a desenvolver doenças crônicas; e

  • maior probabilidade de contrair infecções.


FONTE: g1

3 visualizações0 comentário

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page