top of page

Auxílios taxista e caminhoneiro de Bolsonaro pagaram R$ 2 bi indevidamente


A CGU (Controladoria Geral da União) fez uma auditoria dos programas Auxílio Taxistas e Caminhoneiro do goverdo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e comcluiu que R$ 1,97 bilhão foi pago a quem não cumpria os requisitos para receber os benefícios.


O que aconteceu?


  • Quase 30% dos caminhoneiros que receberam o auxílio não cumpriam os critérios. Dos 402.773 beneficiários, 110.051 (27%) ou não estavam devidamente cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas, ou estavam com o CPF irregular. Há beneficiários que constam até como mortos em bases de dados do governo.

  • Entre os taxistas, percentual de irregularidade chegou a 78%. Dos 314.025 motoristas, 246.722 não preenchiam os requisitos para receber o benefício. Segundo a CGU, o valor foi pago a pessoas com CPF irregular; que moram no exterior; que constam como mortas; sem habilitação para dirigir ou com a habilitação entre outros erros.

  • Auditoria mostrou que o pagamento pode ter sido feito sem que o beneficiário tivesse solicitado. Também apontou que as bases de dados usadas para conceder o benefício eram frágeis.

  • CGU propôs atualização das bases de dados e ressarcimento dos valores. Quem pode ordenar que o dinheiro seja devolvido é o Ministério do Trabalho, que publicou as portarias criando os benefícios.

  • Auxílios foram criados em julho do ano passado, às vésperas da eleição presidencial, por uma emenda que decretou estado de emergência por causa da alta no preço dos combustíveis. Os motoristas receberam até seis parcelas do benefício, que podia chegar a R$ 1.000 cada. Os benefícios foram extintos em dezembro de 2022.

0 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page